29 novembro 2020
caminho percorrido: Portal DRPRI

Visualizar informação

Listas provisórias Creche, Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo

Listas provisórias Creche, Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo

São públicas as listas de alunos colocados no processo de inscrição e matrículas para as Creches, Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo.  No site do PLACE - separador Lista de Colocações

.

Com o processo COVID-19 ativo, foi adotado um novo referencial de alunos por turma (20) nos anos iniciais de cada ciclo, com 23 alunos por turma como máximo. Esta situação, forçada por razões de saúde pública (em paralelo com a divisão equilibrada das turmas – e alunos - em turnos contrários) reduz a capacidade de acolhimento de algumas escolas (as mais procuradas) e, consequentemente, a colocação de alunos não moradores, nas mesmas.

.

Por essa razão e objectivo (diminuir o número de alunos por turma) também se verifica algum aumento no número de turmas criadas, mesmo assim, sem muito significado no todo da rede pois a Madeira tem mantido, nos últimos anos, uma gradual (e realista) descida do número de alunos por turma, apresentando-se, por isso, agora numa posição bem mais sustentada, na aplicação das medidas de saúde pública necessárias, também no âmbito das distancias sociais, em sala de aula.

.

Com excepção das Escolas com muitas salas disponíveis (2x o número de turmas), o funcionamento cruzado permitirá idealizar o uso dos espaços, alocando as maiores salas para as aulas curriculares, para cada duas turmas, e as restantes para as atividades de enriquecimento, para uso diferenciado (e quem sabe, numa situação de maior exigência e segurança, em rotatividade) por grupos menores na biblioteca, informática, música, artes plásticas e outras.

.

Importante, será também o desfasamento de meia hora nas entradas, intervalos, refeições e saída. Dividindo sempre os alunos da escola, por metade, em cada turno.

.

Em alguns casos, quando as turmas forem maiores (24/25), havendo disponibilidades espaciais (salas) é possível criar mais algumas turmas extra na procura por turmas com menos alunos. Estes casos são já mínimos, encontrando-se apenas nas escolas mais procuradas.

.

No processo de selecção, este ano, foram identificadas como Escolas Sem Vagas (quando o número de moradores extravasa o total de vagas) os seguintes estabelecimentos:

.

Ajuda – apenas no 1º Ano

Assomada, Caniço e Figueirinhas (todas no Caniço) – na Educação Pré-Escolar e no 1º Ano

Santa Cruz – apenas no 1º Ano

.

Os alunos originais dessas escolas ganham, por essa via, um privilégio na colocação noutras escolas, por sua escolha, quando, como não moradores, a elas concorrem (são colocados logo depois dos moradores), libertando vagas na sua escola de origem, eliminando, assim, o problema que se geraria, caso todos os alunos ali se mantivessem.

.

O processo decorreu com normalidade, estando colocados todos os alunos do 1º ano e todas as crianças de 5 anos (educação pré-escolar). Quanto aos restantes (creche e EPE de 3 e 4 anos) estão quase todos colocados, com algumas excepções em C. Lobos e alguns (mais) no Caniço. Crianças que não anotaram segundas preferências ou que terão acolhimento em estabelecimentos particulares da sua zona.

.

Na EB1 da Ajuda, há um grupo de 6 candidatos não moradores que, tendo frequentado a EPE não conseguiram vaga para se manter na Escola, estando colocados na 2ª opção indicada (ou na escola de morada).

.

Nos dias que se seguem teremos esclarecimento de dúvidas e ajustes que servirá para que os Encarregados de Educação recorram às escolas onde entregaram as inscrições, agindo sobre os resultados obtidos onde se admite a procura de alternativas (face a uma colocação obtida que considerem insatisfatória) noutras escolas onde ainda remanescem vagas. No final dessa semana definem-se as listas finais.

.

Neste momento estão colocados (novas matrículas e renovações), nos estabelecimentos públicos, 717 crianças em Creches, 3074 na Educação Pré-Escolar e 6268 alunos do 1º Ciclo.

.

Por acertar uma colocação, ficaram cerca de sete dezenas de crianças na Educação Pré-Escolar pois não anotaram segundas preferências, mas que têm ao seu dispor, as vagas suficientes (apesar de noutra escola, que não a sua preferida).

.

Verifica-se alguma estabilidade (e não crescimento) das inscrições em idades creche o que poderá revelar – havendo alternativa - alguma preferência em recatar os bebés em ambiente familiar.

.

Na Educação Pré-Escolar a procura pela oferta pública tornou-se mais evidente.

A criação de turmas de 20 alunos (como referencial) impediu mais colocações nas escolas mais procuradas, relegando algumas crianças e alunos (não moradores) para segundas opções.

.

É de anotar o facto de ter sido possível este nível de colocações numa primeira vaga, ao mesmo tempo que se reduzem os números de crianças por grupo e turma. Num processo que se realiza com vista à minimização e salvaguarda de possíveis problemas de saúde pública.


Anexos

Descritores

elaborado em 2020 por plataforma place